Porque você deve tomar a vacina da gripe

Atualizado: 28 de mai. de 2020


Está chegando a época do ano em que os resfriados e gripes são mais frequentes. Nos meses de outono e inverno a circulação de vírus respiratórios aumenta e a aglomeração em ambientes fechados e com pouca circulação de ar devido ao frio facilitam a transmissão de pessoa a pessoa. E justamente por essas infecções serem mais comuns nessas estações, a campanha de vacinação da gripe é realizada aqui no Brasil nos meses de abril e maio, período do outono.


A vacina da gripe tem sua composição atualizada ano a ano com base nas informações recebidas de todo o mundo pela Organização Mundial da Saúde (OMS) sobre a prevalência das cepas de vírus circulantes. Dessa forma, a cada ano a vacina da gripe muda para proteger contra os tipos mais comuns de vírus influenza naquela época. A vacina pode ser trivalente, protegendo contra 3 tipos de vírus, com duas cepas de vírus influenza A e uma cepa de vírus influenza B, ou quadrivalente, protegendo contra 4 tipos, com duas cepas de vírus A e duas cepas de vírus B. A vacina disponibilizada pelo SUS nos postos de saúde é a trivalente, e nas clínicas particulares, quadrivalente.


O efeito de proteção tem início cerca de 10 a 15 dias após a aplicação e se estende por 1 ano. A proteção máxima ocorre cerca de 1 a 2 meses após a vacinação, e vai caindo gradativamente. Como os vírus mudam a cada ano, é recomendado que a vacina seja feita anualmente, de preferência nos meses de outono, para que os níveis máximos de anticorpos sejam coincidentes com os meses de inverno, onde a doença é mais comum em conseqüência da maior circulação viral, como falei anteriormente.



Diferente do que muitas pessoas acham, a vacina da gripe não causa gripe e nem resfriado. A vacina é inativada, não possui o vírus vivo na sua composição. Como a vacina é aplicada nessa época do ano em que há muitos vírus respiratórios circulando, as pessoas ficam mais doentes e atribuem os sintomas à imunização, mas certamente a doença que se manifestou foi provocada por vírus diferentes dos que estão presentes na vacina.


A vacina da gripe é indicada para todas as pessoas, mas especialmente para quem tem maior risco de desenvolver complicações pela gripe, que são considerados os grupos prioritários para receber a imunização. São eles:


- Maiores de 60 anos

- Crianças de 6 meses a menores de 6 anos (5 anos, 11 meses e 29 dias)

As crianças de seis meses até 9 anos que serão vacinadas pela primeira vez devem fazer duas doses, com intervalo de 30 dias após a 1ª dose.

- Gestantes

- Puérperas: mulheres no período até 45 dias após o parto

- Trabalhador de Saúde

- Professores

- Povos indígenas

- Adolescentes e jovens de 12 a 21 anos de idade sob medidas socioeducativa

- População privada de liberdade e funcionários do sistema prisional

- Pessoas portadoras de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais independente da idade (cardíaca, pulmonar, renal, hepática, neurológica, diabetes, obesos, transplantados e imunodeprimidos, portadores de trissomias)


Considerando que as vacinas disponíveis não estão liberadas para uso em crianças abaixo de 6 meses, que são um grupo de risco para complicações, recomenda-se a vacinação das pessoas que cuidam dessas crianças, e também das pessoas que convivem com indivíduos pertencentes ao grupo de risco, como funcionários de creches, escolas e asilos.


Não deve ser administrada em pessoas com febre, com síndrome de Guilain Barré até 6 semanas após outra vacinação e em alérgicos a ovo. Na dúvida converse com o seu médico. Pode tomar a vacina se estiver resfriado ou gripado sem febre.


Os efeitos colaterais sistêmicos são poucos e são mais comuns nas crianças, ocorrendo em cerca de 1% dos vacinados (principalmente na primeira vez que recebem a vacina). Pode ocorrer dor no corpo, dor de cabeça e febre baixa. As reações locais são mais frequentes e podem ocorrer em cerca de 15% dos vacinados, se manifestando principalmente com dor local ou vermelhidão. Geralmente os efeitos adversos desaparecem em 1 a 2 dias.


Esse ano devido a pandemia de coronavírus o período de vacinação foi antecipado e se inicia dia 23 de março para os idosos. Não deixe de tomar a sua vacina mas se proteja e proteja os outros, evite aglomerações, mantenha distância de pelo menos 1 metro das outras pessoas.


Ao tomar sua vacina, você não apenas se protege, como impede que o vírus circule mais facilmente por toda a comunidade.


Dra Barbara Sisnando - Otorrinolaringologista

Atendimento nos bairros de Botafogo e Tijuca, Rio de Janeiro

Convênios e particular


Convênios:

Allianz

Amil

Assefaz

BNDES

Banco Central

Bradesco

Cac

Camarj

Camperj

Cassi

CVRD

Dix

Embratel

Engepron

FioPrev

Funcef

Gama

Golden Cross

Ipalerj

Medial

Mediservice

Mútua

Nuclep

Omint

Petrobras Petróleo

Porto Seguro

Postal Saúde

Real Grandeza

Silvestre Saúde

Sulamérica

Unafisco

11 visualizações0 comentário